Estádios viram campos de guerra no Brasil

15 de abril de 1989 e 8 de dezembro de 2013. Duas datas tão distintas, mas que não poderiam estar mais próximas.

A primeira marcou a morte de 96 torcedores durante uma disputa entre Liverpool e Nottigham Forest, pela fase semifinal da Copa da Inglaterra, no estádio de Hillsborough, do Sheffield Wednesday. Já a segunda, não registrou mortes [pelo menos até o momento no qual escrevo este texto], mas representa uma das piores brigas já vistas em estádios brasileiros, manchando de forma extremamente negativa o campeonato nacional de 2013.

No incidente britânico, a superlotação de uma das alas destinada à torcida do Liverpool, aliada à falha no controle policial sobre a multidão e a inadequação das instalações do estádio foram apontadas como as principais causas para a morte de quase uma centena de torcedores dos Reds, segundo o relatório desenvolvido pelo Lorde Taylor de Gosforth, oficial responsável pela análise da tragédia.

Após esse relatório, medidas foram tomadas, como a retirada de grades e alambrados para separar o público e a extinção das “gerais”, as famosas arquibancadas. A partir daquele momento, todos os torcedores deveriam ter as suas cadeiras identificadas quando comprassem suas entradas para a partida. Além dessas mudanças, a regulamentação para preços de ingressos e para a quantidade de bilhetes destinados à torcida visitante, assim como a modernização dos estádios, fizeram parte do novo processo do futebol inglês.

Uma enorme tragédia foi a gota d’água para que as transformações chegassem à “Terra da Rainha”. Mas para o Brasil, parece que a regra não vale. A guerra que vimos ontem (08/12/2013) entre as torcidas de Atlético Paranaense e Vasco foi o último  e talvez o caso mais explícito de que medidas precisam ser tomadas no futebol e na justiça brasileira.

Brigas em estádios voltam a ser cada vez mais frequentes. Somente este ano, já vimos incidentes deste tipo envolvendo “torcedores” de clubes como Grêmio, Atlético Paranaense, Vasco, São Paulo, Corinthians, Goiás, Coritiba… Vimos violência até na comemoração do título de campeão brasileiro conquistado pelo Cruzeiro, algo inimaginável.

Após todos esses casos, o que mudou? O que vai mudar? Para mim, absolutamente nada. Vale olhar para trás e relembrar o caso envolvendo as torcidas de Palmeiras e São Paulo, durante a final da Supercopa de Futebol Júnior de 1995, que transformou o Estádio do Pacaembu em um campo de guerra, ocasionando a morte de um torcedor. Por conta deste incidente, foram extintas as organizadas das duas equipes. Uma ação tão inútil quanto o simples ato de não se fazer nada.

A solução é simples e todos nós sabemos qual é: punição. Enquanto não houverem mais leis severas, que julguem e levem à cadeia esses vândalos travestidos de torcedores, a situação continuará a se repetir e manchar a imagem do país pentacampeão mundial. Leis específicas para este tipo de incidente, que saiam da esfera esportiva e entrem na questão criminal.

Será que precisaremos passar por incidentes como esses durante a Copa do Mundo, para que os nossos governantes sejam cobrados por todo o planeta, para que o Brasil passe por uma vergonha mundial e afaste cada vez mais o interesse de turistas estrangeiros? Resta torcer para que a presidente da república, os governadores, os prefeitos e o Ministério Público tomem as ações necessárias, que livrem os estádios de bandidos, porque o lugar deles é na cadeia e não dentro dos estádios.

Para finalizar esse texto, deixo a capa do jornal espanhol Marca, comprovando a bela imagem que esses vândalos passam para o mundo sobre o Brasil.

jornal_marca_briga

Anúncios

E aí, o que achou? Dê a sua opinião no Fora da Mira!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s